Rio de Janeiro > Rio de Janeiro > Corcovado > K2

K2
4º V D1 E2
Montanha: Corcovado
Cadastrada por: Marcel Leoni, em 15-05-2019 às 14:10
Modalidade: tradicional
Tipo de via: principal
Face: leste
Tipo de escalada predominante: agarras e aderência
Extensão: 140 metros
Descrição: Clássicas das clássicas do Rio de Janeiro, localizada no Corcovado, onde é preciso escalar em diversos estilos como fendas, diedros, aderência e agarras. Para acessar a base é preciso ir até as Paineiras e seguir pela estrada que dá acesso ao Cristo. A entrada da sua trilha fica em uma curva em cotovelo para a direta, sempre seguindo a parede norte do Corcovado até o final da trilha, que fica no ombro e de frente para a Lagoa Rodrigo de Freitas. A via conta com cinco enfiadas, sendo todas bem distintas, onde diversos estilos serão utilizados ao longo da escalada. A primeira é um grande diedro em fenda, que conta com proteções fixas, mas pode ser melhorado com móveis. Nessa enfiada existe o primeiro crux de IVsup, que é feito em oposição. Logo depois o a P1 pode ser feita em um platô com parada dupla. A segunda enfiada começa como uma travessia em aderência para a esquerda, um lance fácil, mas muito aéreo e impressionante. Essa enfiada pode ser feita bem curtinha até a próxima parada dupla, ou seguir mais um pouco, passando pelo famoso lance do crucifixo e seguindo até um parada simples em um pequeno platô suspenso no abismo. Uma opção interessante é fazer a Variante K3, com grau de dificuldade em VIsup e aproximadamente 20 metros, que segue pelo diedro em móvel e termina após o lance do crucifixo. A terceira enfiada é bem simples e fácil, basta seguir por uma rampa até a base do lance do palavrão, que é uma grande laje de pedra com uma parada dupla. A quarta enfiada já começa com o famoso lance do palavrão, o lance é fácil, mas como não tem proteção fixa, e em caso de queda pode fazer um estrago na laje de pedra que fica logo abaixo. Nesse lance se recomenda a utilização de proteções móveis, alguns nuts e friends pequenos ajudam. Depois a via segue por um sistema de fendas fáceis até o platô que fica logo abaixo das contenções de concreto. A quinta e última enfiada é uma curta retinha em agarras, que segue logo abaixo as proteções de concreto. No final dessa reta existem alguns lances sujos de concreto, mas nada muito significante. A parada final pode ser feita em uma árvore e dali para cima basta seguir por uma curta trilha até o Cristo. Para voltar é preciso descer a estrada de acesso ao Cristo mais uma vez em direção as Paineiras.
Fonte:

Equipamento extra necessário:
  • Aconselhável friends e stoppers
Data da conquista: 1962
Informações disponíveis no site Escaladas.com.br, disponível em: <http://www.escaladas.com.br>
Documento gerado às 04:12 - 24/05/2024
© Todos os direitos reservados