Escaladas.com.br

Até o momento, temos 8.606 vias cadastradas em 1587 locais de 399 cidades de 24 estados brasileiros.

Dados da Via Rio de Janeiro > Guapimirim > Pedra São João > Dia do Julgamento

Ampliar imagem Dia do Julgamento
Arthur Estevez e Diogo Chazan durante a conquista da 7ª enfiada.
Ampliar imagem Dia do Julgamento
Diogo Chazan limpando a 7ª enfiada. Foto: Arthur Estevez
Dia do Julgamento Imprimir informações da via
A2+ Vsup D6 E2
Cadastrada por: Arthur Garcia Solleiro Estevez, em 07-07-2022 às 13:20
Alterada por: Luciano Bender, em 10-07-2022 às 18:59
Modalidade: big wall
Tipo de via: principal
Tipo de escalada predominante: artificial
Extensão: 245 metros
Descrição: A via começa no fundo da grota que leva para a Agulha do Diabo. Da base é possível ver a primeira chapa. Foi deixado pelos conquistadores um pequeno pedaço de corda em uma árvore que fica na fenda onde começa a via.

1ª enfiada - começa em um lance livre até alcançar à primeira chapa que fica em um platô. Ainda em livre, siga para a direita até alcançar a fenda onde começa um artificial C2 ("clean", sem a necessidade de uso de martelo, ou A2) e termina dominando o diedro em livre. Não é necessária a utilização de Pitons nessa fenda, mas, se quiser proteger a corda quando fixar a parede, é possível ali deixar um "Angle" grande.

2ª enfiada - essa enfiada exige atenção por conta dos blocos soltos. Começa por um lance em livre, mas logo atinge uma fenda com mato que deve ser protegida com peças grandes, até alcançar uma chapeleta. Depois dessa chapa, siga pelo mato tendendo à esquerda, até chegar a uma segunda chapa. A partir dessa chapa, sai por poucos metros em livre até alcançar a canaleta onde se deve ter muita atenção com blocos soltos. Na canaleta é possível proteger com algumas fitas em árvore e algumas peças não triviais. Uma enfiada "Marubinística" !

3ª enfiada - outra fenda perfeita que saiu em C2 (ou A2). Atenção apenas com um bloco que, apesar de colado, mexe e está alinhado com o participante ("seg"). Não se recomenda bater Pitons ou utilizar peças ativas nesse bloco, que foi vencido utilizando-se uma peça na fenda que fica atrás dele e uma logo acima (fica esticado!). Passando por um pequeno teto que o joga para esquerda, a fenda se bifurca e se deve pegar a fenda da direita. A saída da fenda é feita em livre e se percorrem poucos metros na vegetação até encontrar a P3.

4ª enfiada - toda em livre com proteções mistas.

5ª enfiada - talvez a enfiada em artificial mais dura da via. Solicita-se não sejam feitos novos furos que não estejam no Croqui ! A 5ª enfiada sai em uma laca para direita onde é possível pôr uma fita de 1,20 m para proteger até alcançar a primeira chapa. Nessa enfiada, não se escapa do artificial tradicional, onde são necessários alguns micropitons, plumbheads (chumbo), cliffs de buraco e parafusos. Alguns lances foram feitos em cliff de agarra natural. UTILIZE sua criatividade para progressão! A enfiada poderia ser bem mais dura, com sequencias maiores de microheads. Entretanto, os conquistadores decidiram deixar a via mais acessível e segura, sem risco de queda em platô.

6ª enfiada - segue por uma incrível chaminé toda em livre que leva quase ao topo do "Dedo". Utilizar peças grandes nessa enfiada. A parada é feita em uma chapa e uma peça móvel.

7ª enfiada - começa em livre até terminar de montar o Dedo. A proteção desse lance é feita em uma fenda perfeita que, após o dedo, segue com proteções móveis. Entre uma fenda e outra, existe um trecho que é superado com cliffs de agarra, de buraco e parafuso. A progressão da segunda fenda é feita com microfriends até chegar a uma chapa, e dessa chapa saia em livre até a P7.

8ª enfiada - começa em uma fenda com peças largas. Ao dominar a fenda, avista-se uma parada dupla à direita, que serve para rapelar. Não pare nessa parada dupla de rapel e contorne o bloco pela direita até encontrar um trecho que você deve superar negociando com rocha e vegetação. É possível utilizar algumas proteções móveis entre as chapas. Só há uma chapa na P8 (os conquistadores autorizam que se bata a segunda).

Acesso ao cume - chegando à última chapa, deve-se seguir para a esquerda na vegetação e descer um pouco até encontrar umas árvores maiores e que se destacam. Uma vez nessas árvores e com a laje de pedra à esquerda, negocie com a vegetação até encontrar a trilha principal que leva ao Livro de Cume. Esse percurso tem mais de 60m, mas não mais de 80m.

Descida - caso a escolha for sair por cima, terá um trabalho dobrado em superar o último trecho de mato e descer pela “Normal” com os Haul Bags e Ledge. Caso a opção seja rapelar, não leve o haul-bag até a P8. Leve somente o necessário para terminar a via. Rapele da última chapa até a penúltima, e da penúltima desescale até a parada pois o ponto de rapel fica antes da P7 (para quem está descendo). Desse ponto de rapel e com duas cordas, rapele até P5. Da P5 em diante, são feitos rapeis de parada em parada. ATENÇÃO: durante o rapel, cuidado para que a corda não caia atrás do Dedo, pois corre-se o risco de ficar agarrada. Durante o arremesso de corda para baixo, jogue-a bem para a direita do Dedo.
Equipamento mínimo necessário:
  • 2 cordas de 60 m
  • 1 jogo de Cam até o #6
  • 1 jogo de Cam ate o #5
  • 1 jogo de Cam até o #4
  • 1 jogo de Cam até o #3
  • 1 jogo de Microfriends
  • 1 Knifeblade (P)
  • 1 Rurp
  • 1 Pecker (M)
  • 1 plumbhead
  • Cliffs Talon, Hanger e Grappling (2 de cada)
Data da conquista: 29/06/2022
Conquistadores (em ordem alfabética):
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Encontrou algo errado? Clique aqui

Outras vias cadastradas neste local